Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

sábado, 19 de junho de 2010

Cabral no Clima da Copa

Alô, amigos! Durante um mês, nosso país para e só se fala da Copa do Mundo. Sério. Minha cidade parecia abandonada durante o (pífio) jogo na terça-feira. O futebol é, comprovadamente, uma paixão nacional. Tanto é que foram vários os poetas que versaram sobre jogadores, escretes, técnicas, e até mesmo sobre o objeto fundamental em qualquer partida: a bola. Um deles foi João Cabral de Melo Neto, pernambucano, jogador e campeão com o time de base do Santa Cruz de Recife. Vejam só o que ele escreveu, provavelmente, na Copa da Suécia, em 1958:

O futebol brasileiro evocado da Europa

A bola não é a inimiga
como o touro, numa corrida;
e, embora seja um utensílio
caseiro e que se usa sem risco,
não é o utensílio impessoal,
sempre manso, de gesto usual:
é um utensílio semivivo,
de reações próprias como bicho
e que, como bicho, é mister
(mais que bicho, como mulher)
usar com malícia e atenção
dando aos pés astúcias de mão.

Muito bom, não? Só achei uma grande sacanagem comparar a bola de futebol com uma mulher. Para finalizar, como seria um poema feito para a jabulani, a tão criticada bola com vida própria da Copa de 2010?
Até a próxima, amigos!
Lê ^_^

sábado, 12 de junho de 2010

Dia dos Namorados poético


Olá! Hoje, 12 de junho de 2010, é uma data muito especial. Não só pelo muito comercialmente lembrado Dia dos Namorados, mas também porque completo 1 ano no twitter!! Oba!! Foram 74 tweets, 9 seguidores (oh, tristeza!), seguindo 44 pesoas em 365 dias.Mas não é sobre isso que quero falar hj. Vejam que seria um post só com números, ou seja, um poço chato. É sobre o Dia dos Namorados mesmo. Eu não tenho namorado, mas vou dar a todos uma inspiração bem romântica. Aliás, eu não, mas sim Carlos Drummond de Andrade, que normalmente vê o amor de forma objetiva, mas aqui faz uma bela reflexão e declaração histórica:

Balada do Amor através das Idades

Eu te gosto, você me gosta
desde tempos imemoriais.
Eu era grego, você troiana,
troiana mas não Helena.
Saí do cavalo de pau
para matar seu irmão.
Matei, brigámos, morremos.

Virei soldado romano,
perseguidor de cristãos.
Na porta da catacumba
encontrei-te novamente.
Mas quando vi você nua
caída na areia do circo
e o leão que vinha vindo,
dei um pulo desesperado
e o leão comeu nós dois.

Depois fui pirata mouro,
flagelo da Tripolitânia.
Toquei fogo na fragata
onde você se escondia
da fúria de meu bergantim.
Mas quando ia te pegar
e te fazer minha escrava,
você fez o sinal-da-cruz
e rasgou o peito a punhal...
Me suicidei também.

Depois (tempos mais amenos)
fui cortesão de Versailles,
espirituoso e devasso.
Você cismou de ser freira...
Pulei muro de convento
mas complicações políticas
nos levaram à guilhotina.

Hoje sou moço moderno,
remo, pulo, danço, boxo,
tenho dinheiro no banco.
Você é uma loura notável,
boxa, dança, pula, rema.
Seu pai é que não faz gosto.
Mas depois de mil peripécias,
eu, herói da Paramount,
te abraço, beijo e casamos.

Carlos Drummond de Andrade, in 'Alguma Poesia' 

Vale lembrar os filmes mais românticos já feitos, dar uma bela lembrança, declarar seu amor com a mais pura emoção ou apenas passar o dia com o ser amado. Beijos!

sábado, 5 de junho de 2010

Uma encomenda de Cecília Meireles


Oi, pessoal! Hj vou dar para vcs um presente: uma poesia muito linda da Cecília Meireles! Vejam:

ENCOMENDA

Desejo uma fotografia
Como esta - o senhor vê?- como esta:
Em que para sempre me ria
Com um vestido de eterna festa.

Como tenho a testa sombria,
Derrame luz na minha testa.
Deixe esta ruga que me empresta
Um certo ar de sabedoria.

Não meta fundos de floresta
Nem de arbitrária fantasia...
Não... Neste espaço que ainda resta,
Ponha uma cadeira vazia.

Cecília Meireles
Ñ é linda? Eu adorei, e vcs? Isso é só... :x um bjo e até mais, Lê ^_^
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...