Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

domingo, 30 de janeiro de 2011

Astros nas trincheiras II – Antes da Fama, a Guerra

Olá! Pesquisando sobre atores que foram à guerra, encontrei vários exemplos de combatentes anônimos da Primeira Guerra Mundial que acabaram alcançando a fama no cinema. Olhem as fotos da época do alistamento:


Humphrey Bogart foi guarda da marinha. Ele teve de atirar em um prisioneiro em fuga (!). Curiosamente, ganhou seu único Oscar em um flme sobre a Primeira Guerra, "Uma Aventura na África".

Walter Brennan servia na artilharia quando aprendeu a imitar uma mula. Um belo dia, depois da guerra, um estúdio precisava de uma imitação de mula para um filme. Assim começou sua carreira.

Ronald Colman servia ao Exército Britânico antes mesmo do começo do conflito. A foto é do filme "Na Noite do Passado", em que ele interpreta um soldado que volta sem memória da Guerra. Ronald serviu por poucos meses, pois foi ferido em 31/10/1914 e afastado do combate.

Charles Laughton lutava no fim da guerra quando um ataque de gás venenoso atingiu seu grupo. Dizem que esse ataque afetou sua voz para sempre. No entanto, o que sabemos é que a batalha realmente afetou sua fé, fazendo-o abandonar a crença em qualquer religião.

Victor MacLaglen foi boxeador antes da Guerra. Lutou com os Fusileiros Irlandeses no Oriente Médio e ganhou o Oscar por "O Delator / The Informer" de John Ford.

Espero que tenham gostado. Na verdade, a lista de atores que participaram, de algum modo, de guerras, é enorme. Essa foi apenas uma pequena tentativa de reunir facetas desconhecidas desses grandes astros.
Lê^_^

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Tudo o que você queria saber sobre o Oscar mas não tinha a quem perguntar

Olá, cinéfilos! Estamos em contagem regressiva para a maior festa do cinema, que acontecerá em 27 de fevereiro. Ontem foram anunciados os concorrentes. É hora de correr atrás dos títulos e fazer as apostas!
Mas sempre paira uma dúvida: quem escolhe os vencedores? Para sanar de vez essa dúvida aqui vai um infográfico cheio de curiosidades:

Bônus!

Aqui vão duas curiosidades de brinde!

Qual foi a atuação mais curta premiada com o Oscar?
Antony Quinn, que faturou o prêmio de melhor ator coadjuvante em 1957 mesmo aparecendo em Sede de Viver por apenas oito minutos.


Quem fez o discurso mais longo após receber o prêmio?
Greer Garson, que, depois de ser anunciada como a melhor atriz, em 1942, discursou por cerca de uma hora(Desaforada! Disse que discursou por "apenas uns cinco minutos" e ainda ganhou um beijo de James Cagney!).

Até a próxima,
Lê ^_^

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

ATENÇÃO!!!!



Desculpe chamar a atenção desse jeito, mas algo importante está para ocorrer:
a partir do próximo domingo (23/01/2010) o blog muda de endereço. Passará a ser acessado a partir do endereço http://criticaretro.blogspot.com/Não se esqueçam! Mudanças virão por aí!

Mais algumas coisinhas:
1- Esta semana, sempre na faixa das 21h, o canal de TV paga GNT exibe documentários de uma hora sobre personalidades, com destaque para alguns astrso do cinema clássico. Ontem fo isobre Rock Hudson, hoje é a vez de Isabella Rosselini e amnhã, de Brigitte Bardot. Não percam!

2- Estou muito feliz com os ganhadores do Globode Ouro! Jim Parsons, Chris Colfer e Glee! Não pude ver no dia, mas acabei de assistir aos vídeos e fiquei super emocionada. Parabéns! Eles merecem!

Beijos!
Lê ^_^

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Astros nas Trincheiras

Enigmático título, não? Pois bem, muitos dos que prestaram um pouco de atenção às aulas de História durante os tenros anos de formação intelectual sabem como o “breve século XX” foi um período conturbado. Foi também a época de afirmação e popularização do cinema. Por isso, muitas vezes eles se entrelaçaram, não apenas em filmes de guerra, mas também em curiosos casos de atores que foram para os campos de batalha e felizmente voltaram sãos e salvos. Alguns casos que descobri recentemente:


Herbert Marshall: O mais antigo ator da lista e, talvez por isso, o menos conhecido, lutou na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e perdeu a perna direita em combate (!). Teve de passar o resto da vida com uma prótese de madeira ( = tecnologia dos anos 1920). Nessa época o público não desconfiava de nada. Para uma cena de “Ladrão de Alcova” (Trouble in Paradise, 1932), em que sua personagem descia as escadas carregando uma mulher, um dublê foi necessário.

Errol Flynn: O grande aventureiro das telas também viveu momentos marcantes na vida real. Ele participou da Guerra Civil Espanhola (1936-1939) como correspondente. Aliás, Errol sempre sonhou com essa profissão e gostava muito de escrever. Até lançou um romance, sucesso de vendas. Em 1959, voltou à cena, desta vez durante a Revolução Cubana, chegando a encontrar Fidel Castro. Seu filho Sena seguiu a carreira de correspondente e fotógrafo e, infelizmente, foi dado como morto ao entrar no Camboja durante a Guerra do Vietnã.

James Stewart: O ator foi ao campo de batalha como membro da Força Aérea durante a Segunda Guerra (1939-1945). Durante todo o tempo que passou por lá, Stewart não se separou da carta escrita por seu pai, um barbeiro para quem o ator deu sua estatueta do Oscar. Além de aparecer em pequenos filmes de propaganda incentivando o alistamento, Stewart chegou ao título de Brigadeiro e aposentou-se da Força Aérea apenas em 1968. Ironicamente, participou de um bombardeio Guerra do Vietnã (1955-1975), combate no qual seu filho adotivo morreu.


Clark Gable: Abaladíssimo pela morte da esposa, Carole Lombard, em um acidente de avião, Gable viu como fuga o alistamento para as forças aéreas, coisa que Carole já lhe havia sugerido. No entanto, o inexperiente astro era velho demais para combater. Mesmo assim, participou de cinco bombardeios e foi um excelente garoto-propaganda para as Forças Armadas. Reza a lenda que Hitler era um grande fã seu e, ao saber que o ator estava na Guerra, teria oferecido uma recompensa a quem trouxesse Gable até ele.


David Niven: Outro combatente da Segunda Guerra, Niven desembarcou na Normandia alguns dias após o Dia D (06/06/1944). Ele lutava pela Inglaterra, seu país natal, e chegou a conversar pessoalmente com o primeiro-ministro Winston Churchill. É ele quem aparece na primeira foto.

Como se já não tivessem o mundo a seus pés, esses artistas ainda acham maneiras de inventar novas aventuras! É claro que não deixa de ser uma demonstração de patriotismo. Imaginem hoje, se o Brasil entrasse numa guerra, que artista iria querer combater? :)

Beijos!
Lê ^_^
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...